10 de jan de 2011

O RECADINHO...

Nem sempre é possível traduzir em palavras rápidas, no estilo resumido, algo que se levou muito tempo para aprender. E quando digo aprender não falo de algo apenas intelectual, mas algo que se vive verdadeiramente. Pois bem. Gostaria de explicar um comentário que fiz um dia desses. É a respeito do que diziam os antigos taoistas sobre a mente e os resultados do que se espera na vida. Em geral, diz-se que é importante ter foco; mentalizar uma coisa até que se consiga. Para o taoísta místico, ao contrário, a mente é um empecilho. Há várias historietas antigas com exemplos, como a da centopéia: Perguntaram ao bicho como ela fazia para andar com tantas perninhas; ao tentar explicar e entender como andava, perdeu o equilíbrio e caiu.
O taoísmo valoriza o comportamenteo espontâneo (tzu jan, na linguagem antiga). O curso do rio: nada contém a água do rio porque ela se desvia dos obstáculos, acomoda-se ao terreno e assim atinge o mar sem esforço. Quando muito se quer uma coisa, a mente atrapalha o resultado. E daí o princípio taoísta: "nada se fazendo, tudo é realizado". Dizem os mestres: não se deve confundir "nada fazer" com inatividade (não ação versus inação). Novamente recorremos ao rio: seguir o fluxo, eis a resposta para se conseguir atingir objetivos. Ponha-se no caminho sem ansiedade, naturalmente, e as coisas acontecem se tiverem que acontecer. Conformar-se e permanecer tranquilo no caminho, é o TAO. A decepção, a raiva ou a depressão não altera os resultados. Jogue as sementes e espere. Não houve colheita? Semeie de novo. Ou não. Pouco importa do ponto de vista do universo. Faça o que for melhor para você, sem culpa ou medo. Aposte que pelo menos uma semente pode vingar. Espere. Faça. O rio não tem mente e nunca deixa de atingir seu objetivo: chegar ao mar. Mas os rios também secam. Faz parte...
Aprendi com os mestres do taoísmo e do zen que o grande problema é o ego. Tenho certeza de que é um caminho difícil de entender e, mais ainda, de se colocar em prática. Mas acredito que toda pessoa provida de um mínimo de inteligência possa melhorar. Degrau por degrau, se for o caso. Muitas vezes o tropeço é inevitável. Mas a caminhada prossegue e, desta vez, com mais força e equilíbrio. Este é o meu recadinho nesta postagem de hoje: deixe que a vida se encarregue dos problemas, pois quem age naturalmente dificilmente erra...

Nenhum comentário: