6 de dez de 2010

SORRISO AMARELO

E coloquei a montanha de trabalho de lado para ajudar um estranho em dificuldades... Se não agisse dessa forma, não seria eu. Estou exausto em meio a uma argumentação pobre sobre o nazismo. A vontade de abandonar a tarefa é sedutora, dizendo simplesmente a verdade. Mas não. Vou até o fim... O corpo protesta. Ouço a entrevista dos jogadores do Fluminense, dou um sorriso e me proponho a desligar o computador...

Nenhum comentário: