20 de dez de 2010

SATISFAÇÃO ENTRE OPOSTOS

As pessoas nunca estão satisfeitas com o que têm. Não há qualquer mistério nesta primeira frase. Os padrões são fixados externamente, pelo capricho ou tendências da moda. Durante muito tempo os negros tinham vergonha de seus cabelos. É fácil preencher uma listagem de preconceitos derivados da relação entre grupos. Já na natureza não discriminação de cores ou formatos, só mesmo o mundo humano para distinguir, por exemplo, o que é belo do que é feio - essas facetas da mesma moeda. O olhar humano está aprisionado à cultura, espécie de bebida mais forte que o leite humano. Desde cedo se aprende o que é certo ou errado, aceitável ou inaceitável - esses pares intermináveis e aparentemente opostos de coisas e idéias, o chamado dualismo da mente. No taoísmo se aprende que valorizar um dos pólos é simplesmente cair na armadilha do conhecimento humano. Viver de acordo com a natureza, segundo os antigos mestres da China, é transcender os opostos. Neste sentido, fica o dever de casa para essa meia dúzia de dois ou três que lê o nosso blog: se a beleza e a feiúra, ou quem sabe o certo e o errado, são faces da mesma moeda, o que é esta moeda?

2 comentários:

Primendonça disse...

Pausa para reflexão...

Elaine Mendes disse...

Chega a ser dramática minha incapacidade de entender certas coisas.