19 de dez de 2010

O BOM VELHINHO

Eu ouvi a menininha dizer candidamente que acreditava em Papai Noel. Este fim de semana assisti "Megamente", em 3D. Aos poucos o homem realiza tecnologicamente o sonho de infância da humanidade. Alías, as teorias da física põem Alice no País das Maravilhas no chinelo. Basta ouvir o que dizem acerca das cordas e das dimensões... Está certo: Não tenho como acreditar mais em Papai Noel. Na minha idade seria prova de insanidade e não de ingenuidade - rimas e rimas com "dade"! Mas se não acredito no "bom velhinho", devo dizer que acredito ainda em muitas outras coisas. Acredito na força e na existência do amor, acredito nos mistérios da vida, indecifráveis aos cálculos dos cientistas. Acredito que as crenças me fazem bem. Eu ouvi a doce menina e me senti feliz naquele instante, cuja eternidade escapa completamente ao mais ousado dos físicos.

Um comentário:

Primendonça disse...

É verdade... Há a necessidade do homem crer nas coisas boas, até porque como buscar algo que sequer acreditamos? Eu tb acredito no amor, na amizade, que existem pessoas sinceras, pessoas boas, pessoas de bem! Se é isso que se quer, é nisso que se deve acreditar! Afinal, estamos aqui p q??? Mas.. Sobre o Papai Noel, eu nunca me esqueci do dia em que me contaram que ele não existe... Foi cruel... Passei um bom tempo querendo acreditar que o que me contaram, fosse mentira... Bom Natal!!!