24 de nov de 2010

E QUAL É A SUA INTERPRETAÇÃO?

Na flor de seus dezessete anos disse que gostaria de perder a virgindade; do alto de seus 54 anos ele não aceitou: "deveria casar com alguém de sua idade", pensou. Vinte e seis anos passaram. Ela reaparece aos 43 anos; ele está agora com oitenta. Viajou do extremo norte ao Rio de Janeiro só para vê-lo. Fizeram amor como possível. Ela quase o sufocou com seus quilos extras, praticamente dois para cada ano afastada. Vinte e seis anos e ela se entregou finalmente, bem sucedida, separada e decidida, pagou o jantar e o motel. Do alto de seus oitenta anos, engenheiro, matemático e poliglota, questionou: "como pode vir de tão longe só para fazer sexo com um velho?" Pobre homem. Tantos anos e ele ainda não aprendera o significado da palavra amor...
Trata-se de uma história real, a mim confidenciada esta semana. Interpretações de alunos (as):
1. Alguns disseram que não houve sexo, era só mentira de homem velho;
2. Outros acharam que se trata apenas de um capricho de mulher. Afinal, "ela poderia arrumar algo melhor";
3. Uns cinco não entenderam as atitudes, outros cincos não entenderam nada;
Por fim, como eu, houve quem afirmasse ser uma história de amor e acrescento: da primeira vez ele perdeu uma oportunidade - por ser cavalheiro e por não acreditar no amor de uma jovem; na segunda vez ele também perdeu a oportunidade, pois agora tinha diante de si uma mulher capaz de tudo para ficar com ele e seus olhos enxergavam nisso uma espécie de doença. Vai morrer sozinho...

2 comentários:

Primendonça disse...

Meu Deus!!! Essa mulher deve ter pensando nesse homem quase todas, se não todas, as noites antes de dormir, durante esses 26 anos. Ela se libertou! Ele, não terá mais sossêgo (sua própria consciência), e de repente, pode ser bom...

Elaine Mendes disse...

Eu acredito que nunca é tarde para amar. Uma pena que mesmo depois de tudo isso e te tanta demonstração de afeto desta mulher, este senhor seja incapaz de perceber isso.