27 de ago de 2010

O SAPATO VELHO

Olhei o solado, mais um pouco se tornará um rombo. Pena. Um sapato confortável, sempre com ares de diferença. Quanto mais velho, mais agradável de usar. Velho companheiro de andanças. Guarda no couro a marca de chuva e de sol, de choro e de satisfação. É apenas um sapato. Do couro de uma vaca, da borracha que veio do fundo do chão às mãos de um operário, até os meus pés chatos. Eles são chatos mesmo, sempre reclamam de alguma coisa ou querem deixar as pernas pro ar...

Nenhum comentário: