3 de ago de 2010

MEDICINA NA ROÇA É ASSIM:

É vantajoso morar na roça quando o assunto é saúde. Sou um bom exemplo desta verdade social. Tive que fazer uma pequena cirurgia e resolvi apelar para serviços particulares, uma vez que não poderia esperar até 2050 para ser atendido no serviço público. Escolhi uma boa clínica, embora tenha estranhado uma recepção que além de gente doente tinha também algumas ovelhas, vacas e até um jumento velho. Solicitei as credenciais do médico e descobri que ele não era médico, mas me garantiram que havia feito até o terceiro ano técnico de veterínária. Aguardei pouco, cochilei apenas uma seis horas, quando fui acordado pelos berros de um bode enfezado e com a pata na tipóia. Eu entraria logo após o bode. Rezei. O quase médico, ou melhor, quase técnico, pediu para que eu deitasse na cama, pois aplicaria a anestesia imediatamente. Bom profissional. Tranquilizou-me. Disse que era especialista em esterectomia de gatas e que arrancaria meu cisto brincando. Perguntou se eu tinha mais algum problema, já que estava com um buraco aberto... Perguntou a enfermeira se alguém estava precisando de sangue, já que havia quase um balde do meu sangue ali fresquinho e à disposição. Enquanto isso, eu rolava na cama de dor, satisfeito por ter qualidade de vida no interior do Estado do Rio de Janeiro...

Nenhum comentário: