24 de mar de 2010

SONHO DE VALSA E SONHO DE VOLTA

Um sono atroz. Três horas não me alimentaram e amanhã a fome será a mesma. Novamente três horas de sono... Não gosto desta estranha sensação de agir com lentidão, como um brinquedo cuja pilha está fraca. Bocejo tão intensamente que mais um pouco abocanharia o teclado. Tenho pilhas de coisas para ler, mas as minhas baterias estão descarregadas - que trocadilho infame! Aproveitei e comi cinco chocolates a pretexto de ficar desperto. Não adiantou muito... Comerei mais cinco se dormir sobre o teclado. Agora são quatorze horas em ponto. Mais dez horas e eu chego em casa, se tudo der certo. Na cidade do Rio, a hora do rush tem vinte e quatro horas. A qualquer dia, hora e direção, ninguém anda. Ainda bem que comprei um pacotão de Sonho de Valsa...

Nenhum comentário: