3 de fev de 2010

A SEU CRITÉRIO

Você pinta as paredes da casa, que ficam novinhas em folha. O tempo traz a poeira, os pequenos insetos, as manchas e buraquinhos diversos - é uma canetinha ali, um líquido insuspeito acolá... O tênis novo e cheirando a loja aos poucos se torna um depósito de areia, um poído aqui, um furo, ou na pior das hipóteses, chulé. E aquele banho, que vai do dedão ao fundo da alma, um corpo perfumado e solto que o suor não poupará - são células mortas depositadas, fuligem, poeira ou gordura das glândulas sebáceas... E o carro? Saiu da lubrificação agora, chega a gemer de prazer; silicone e gel nos pneus, parece que chegou da fábrica. Mas a chuva e a lama não possuem clemência, nem o sol e muito menos os passarinhos que atiram suas bolotinhas de cocô sem piedade. Não precisávamos lembrar daquela torta de limão maravilhosa, que veio logo após o bacalhau ao zé do pipo... Ah! Barriguinha cheia... Tão inocente... mas que imediatamente vai transformando em excremento todas estas delícias do almoço. Fica a seu critério a lição, boa noite.

4 comentários:

Mari disse...

Huuum,a lição?
Posso arriscar?
Nada foge à degradação,nada é imutável...O que é belo,agradável hoje,amanhã pode já não ser.

Bem,foi o que pude inferir.

Nane disse...

Ao contrário da minha colega eu pensei "pq limpar? vai sujar mesmo."

Patrick Gomes disse...

Devemos lembrar que o que é feio, sujo e resquicioso acaba servindo futuramente para a complementação do que é belo, polido e cheiroso. No mínimo, a sujeira serve para louvarmos o que é limpo, e a feiura para determinarmos o que é belo.

Inevitavelmente lembrei das frases traduzidas de Lao Tse:

"Só temos consciência do belo,
Quando conhecemos o feio.
Só temos consciência do bom,
Quando conhecemos o mau.
Porquanto, o Ser e o Existir,
Se engendram mutuamente.
O fácil e o difícil se completam.
O grande e o pequeno são complementares.
O alto e o baixo formam um todo.
O som e o silêncio formam a harmonia.
O passado e o futuro geram o tempo."

MM disse...

Poxa João! Sintomas de mau humor? Do dente? Daquela dor? Lembrei-me de Rita Lee que diz que “Tudo Vira Bosta”. E vira mesmo… Mas enquanto não virar, algum proveito da pra tirar. Eu por exemplo, gosto de tênis velhos e de paredes nem tão limpas, nem tão sujas. Uma história para contar! Certo tesão por cicatrizes? Sei lá. A música fala de caviar, vinho branco e filé ‘minhão’. Tudo bem, posso ficar sem. Mas você ousou falar de Torta de Limão e Bacalhau à Zé do Pipo. Tô aprendendo a cozinhar. Ai Juanito! Por que fez isso???