28 de fev de 2010

O PALADINO DA JUSTIÇA

Posso criticar o filme Guerra ao Terror por experiência própria. Poucos sabem, sou um veterano de grandes e épicos combates. Ou seria melhor dizer, sangrentos e com morte de milhares e milhares de vidas? Vocês meus fiéis leitores, duas ou três caridosas amigas, não conhecem este meu lado belicoso e malvado. Alguns exemplos. A Batalha do Pulgão. Aquele exército de branquelos infestou meu limoeiro. Engajei-me numa luta de resultados imprevisíveis. Os pulgões tinham apoio tático das formigas. A estratégia de nossas tropas foi cortar o suprimento aos pulgões e deixá-los encurrulados entre nossos tanques de sabão em pó e fumo de rolo. Durou meses o conflito. Finalmente, o limoeiro foi libertado e vive democraticamente suas folhas, galhos e população de limões. Houve o Conflito Quarto, o Dia C. Foi assim: uma tropa de cupins tomou de assalto meu guarda-roupa. Quase morri, pois utilizamos armas químicas da Guerra do Vietnã. O inimigo morreu aos milhares. O quarto teve que ser evacuado, a população civil de camisas e calças hoje vive em paz. Além de grandes batalhas, também as escaramuças: contra lacraias, caramujos pretos; enfim, a ONU sabe que sou um paladino da justiça...

Um comentário:

Cafo... disse...

" As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém... Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá). Terás vontade de rir comigo. E abrirá, as vezes, a janela à toa, por gosto... e teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu. Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!"
Antoine de Saint-Exupéry