21 de fev de 2010

DO OUTRO LADO

Não sou comentarista de cinema. Não me preocupo no momento em assistir lançamentos e sim conhecer filmes alternativos. Dois motivos: fugir do senso comum norte-americano e, quem sabe, descobrir novas possibilidades de narrativa cinematográfica. Neste sentido, o filme turco-alemão, Do outro lado, não deixa a desejar. Denso, profundo e circular, sem fazer proselitismo de uma nova técnica. Filme que faz pensar nos encontros e desencontros da vida.

Um comentário:

MM disse...

Às vezes, um momento, um olhar, uma conjugação de sentimentos, provoca um encontro de almas próximo a perfeição. Por frações de segundos acontece uma harmonia capaz de transformar meros desconhecidos em cúmplices. Dessa forma sou capaz de lembrar-me de um instante, de um abraço, de amigos desconhecidos, enfim de desencontros plenos de uma emoção boa e mútua. De outra feita, a vida cotidiana, infelizmente, não raras vezes nos presenteia com a experiência do encontro vazio, já que configuram exceções as pessoas que nos conseguem ler a alma. Paralelamente, existem aqueles que com sua essência somente, conseguem provocar um ardor, um descompasso cardíaco, até mesmo num coração pétreo e povoam um imaginário qualquer. Aí nesse último caso não consigo aplicar a razão e diferenciar o encontro, do desencontro.