29 de jan de 2010

Sexta-feira. Final de tarde de ventos fortes que movem os sinos da varanda. Dei uma pausa no filme de guerra, enviei um longo email e relembro o dia. Comprei uma pequena agenda que me esforçarei em usar e todo ano é assim. Fiz uma coisinha aqui e outra ali. Pensei em comentar hoje alguma coisa nova, mas eu me sinto apenas morno... A propósito comprei também uma garrafa térmica nova, pois a anterior praticamente gelava o café. Minha casa é silenciosa, dá para ouvir as batidas do coração. Lá fora os sinos dançam ao som dos pássaros, embalados pelo vento típico da região. Ah! Aline sumiu, deve estar com problemas - torço muito por ela. Amanhã tem Lô Borges em Arraial, nossa como eu gosto de suas canções:
Vento solar e estrelas do mar
A terra azul da cor de seu vestido
Vento solar e estrelas do mar
Você ainda quer morar comigo?
Se eu cantar não chore não
É só poesiaEu só preciso ter você
Por mais um diaAinda gosto de dançar
Bom dia
Como vai você?

Um comentário:

MM disse...

Batidas do coração... É o nome de alguma poesia? Algum filme? Alguma canção? Se não for, deveria ser. Há tanta determinação nas batidas do meu coração. Pronto! Vou escrever! Uma confissão ostensiva. Sexualidade lingüística? Escrever me dá prazer! Cada louco com sua mania. Escrever é uma magia; é uma loucura; um não sei quê... Linda música JG!