28 de jan de 2010

O SOBREVIVENTE

Durante certo tempo, uns cinco anos talvez, fui empresário. A empresa chegou a ter vinte funcionários. Não era um homem rico, mas tinha uma renda bem acima da média. Já fui gerente de empresa, operário, camelô, biscateiro - um trabalhador brasileiro típico. Fui confiscado no governo Collor e perdi anos de trabalho duro. Não me sinto superior a ninguém por conta deste currículo. O menino que vendeu discos na feirinha da Pavuna e guardou carros na Coderte, vendeu fotoletras e aspiradores de pó com defeito, sou eu e com muito orgulho. Quando concluir minha tese este ano e receber o título de doutor, assim espero, estarei encerrando uma trajetória que sempre foi digna. Estudei e estudo muito, trabalho com afinco e luto por meus ideais. Não sou inteligente, sou esforçado e gosto do que faço - pensar. Os pássaros voam; o gato é astuto; o leão é feroz; Einstein é gênio; Caetano é poeta; o cameleão muda de cor; as rosas são deusas; minhas amigas são lindas; meus filhos são maravilhosos; minha mãe é a taitai; e eu sou um sobrevivente. Peço desculpas aos eventuais leitores, mas gostaria de deixar aqui o desabafo. A única coisa que não podem tirar de um homem é sua história.

5 comentários:

MM disse...

Na categoria de “eventual” leitora que sou, desculpo o Senhor Quase Doutor pelo que desabafou. É sem dúvida uma história louvável. Uma trajetória, uma vida, de luta, coragem e ardor. Congratulations! Guardo um lema comigo: uma paixão; um compromisso. Tapo os ouvidos e sigo! Os pássaros voam; o gato é astuto; o leão é feroz;... E MM escreve no blog de JG.

Patrick Gomes disse...

Olha João, não é segredo, para os mais próximos a nós, a admiração que tenho por você. É um bom amigo que fiz nessa trajetória universitária, que sei, só estar no começo. Com você aprendi coisas que eu já sabia, mas estavam na sala do meu subconsciente escuro esperando que a luz fosse acesa. Entendi como lidar melhor com a dicotomia "simplicidade-sofisticação".

Fiquei admirado com sua frase: "estarei encerrando uma trajetória que sempre foi digna". 'escerrando'? Você chegou onde poucos chegaram, e imagino que tenha passado por grandes dificuldades, mas acredito (de coração) que você ainda está no meio de sua trajetória, e que produzirá grandes obras em sua vida (soou bem cristão isso).

Parabéns, antecipadamente, pelo título, mas principalmente, por ter conservado a simplicidade de garotinho pobre e trabalhador.

Mari disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mari disse...

Apenas uma retificação: és inteligente sim, e muito!

Tati disse...

...e que história...és a pessoa mais inteligente, humana,sensata q já conheci...um homem encantador que merece tudo de melhor nessa vida!!!