20 de dez de 2009

PERGUNTAS

Entramos na semana do Natal. Este ano passarei sozinho, o que já aconteceu de outra feita. Depois do Natal viajo ao Nordeste, terra dos meus ancestrais. Encerro a semana refletindo sobre certas coisas... Deixo no ar algumas perguntas: É possível viver em meio ao caos e manter a serenidade? É possível trabalhar com corruptos e não se transformar num deles? Ou estar cercado de gente que não vale nada e acreditar na integridade humana? Como estar no meio da lama sem se sujar de alguma forma? Somos o que pensamos disse o Buda. Só existe sujeira e corrupção em mentes sujas e corrompidas. Uma criança é sempre inocentemente limpa, mesmo quando totalmente cagadinha. E ela ri do nosso asco...

Um comentário:

Maria disse...

"Respostas"
Na casa dos meus pais, tem uma planta chamada pinhão roxo. Você deve conhecer!
O pinhão roxo nasceu no pé do muro de uma das paredes do jardim. Em volta dele só há cimento, concreto, lajotas. O arbusto nasceu, cresceu e agora está bonito e resplandecente. Já está com aproximadamente dois metros.
Além de embelezar o mundo, e dentro dos meus vagos conhecimentos de botânica, sei que apenas se utiliza o pinhão roxo com o objetivo de afastar o mau olhado, quebranto. As rezadeiras usam suas folhas, numa espécie de ritual, muito comum no Nordeste e asseguram que a planta é poderosa para curar males do corpo e da alma, quando advindos da inveja humana.
As possibilidades são amplas e o comportamento humano não é um mero silogismo.
O pinhão roxo desenvolveu-se em condições totalmente adversas, dizem que o Brasil está deixando de ser o país do futuro, eu comento o blog de um Ilustre desconhecido...