27 de jul de 2009

A FESTA SEM FESTA

A festa era de poucos convidados. Ninguém apareceu, então não houve bis, nem é big, nem com quem será. Mas isso foi logo no início da semana. Depois a conversa de fim de semana, que se prolongou durante a noite na forma de sonho. E agora outra semana de fim de semana, semana fora, semana dentro. Estou cansado. Não de músculo, de uma noite mal dormida, ainda que tenha sido esse o caso. Cansaço de alma. Claro, quem viveu pouco ou teve poucas experiências nem imagina o que seja tal estado. Um cansaço que se traduz em letargia. Um cansaço brutal e injusto, principalmente se levar à rendição. Um cansaço inexpressável nos seus detalhes, sem palavras. Mas a qualquer momento haverá o cansaço do cansaço. Um dia ying, um dia yang - é o Tao, disse Wang Pi há séculos...

2 comentários:

Aline disse...

"Não é preciso ter olhos abertos para ver o sol, nem é preciso ter ouvidos afiados para ouvir o trovão. Para ser vitorioso você precisa ver o que não está visível".

Sun Tzu

...como você que vê com o coração...bjs

BTV disse...

Pode ser que nem todos os personagens da festa imaginem tal cansaço... pode ter sido ruim experimentar o sabor do bolo sem os sorrisos e músicas... mas se a conversa de fim de semana invadiu a noite e ocupou os sonhos,,, bom alguma coisa foi compartilhada!!!
bjs