27 de nov de 2008

SAMBAQUI DE MEMÓRIAS

O Studio Z funcionou por cinco anos no número 20 da Camerino. Já nesta época era uma rua decadente e só mesmo alguns vestígios restam do seu passado, tão forte do ponto de vista histórico. Rua do Valongo que se tornou por ordem do vice-rei o entreposto preferencial de escravos, ladeando o cemitério criado para os cativos do morro do Valongo ou Conceição, como se chama hoje. Depois, rua da Imperatriz e finalmente Camerino, em homenagem ao herói da Guerra do Paraguai, o sergipano Francisco Camerino. Largo Santa Rita, que faz referência ao vigário e assim por diante. A rua se torna um fóssil soterrado lentamente pela fuligem dos veículos e pelo marasmo econômico do centro velho da cidade. A padaria, o armazém, a pensão, a loja de ferragens, o Studio Z - todos fechado. Naquela época, pagava-se por segurança contra os bandidos dos morros do entorno. Agora, prosperam os estacionamentos... o velho Gallery Hotel resiste... Ah! quantas lembranças dos tempos do Studio Z... A rua Camerino é um sambaqui de memórias.

2 comentários:

taiana disse...

nunca conheci alguem q gosta de escrever tudo e tem facilidade p/ isso...rs

Aline disse...

Sambaqui...A alma do Rio Antigo...
Noronha Santos: "Forte impiedade! Enterrar nas ruas por onde andam os povos e os animais a despedaçar os cadáveres."
As páginas sempre vivas da história...