21 de ago de 2011

NA RIBALTA

O grande artista da noite se chamava... No palco o que presumo ser a equipe reserva do Circo da China fazia o melhor possível. O camarote era confortável, embora a visibilidade não fosse boa. Dentre as milhares de pessoas, a mulher mais linda estava ao meu lado. A noite lá fora era fria e chuvosa. Eu tinha dormido poucas horas e trabalhado feito louco. Não caí no sono e fiz malabarismos para manter o raciocínio. Domei os meus leões interiores e fiz a mágica de multiplicar o tempo. Estou vivo e feliz em ser um grande artista de circo.

Nenhum comentário: