16 de ago de 2011

DIA LINDO

As salinas pareciam vivas em contraste com a escuridão que devorava a estrada. Um pouco mais e se tornariam areias movediças, pelo menos em minha imaginação. Fosse mais aberta a curva, talvez eu não estivesse aqui agora. O crepúsculo não se importaria, estava ocupado com a sua própria beleza. Ao fundo, a majestosa serra permanecia muda. O carro quase rodopiou e eu quase me estrepei. Segundos após, acelerei com o coração acelerado. Não gosto de chegar atrasado. Era um dia lindo demais para se morrer...

Nenhum comentário: