4 de fev de 2011

MADRUGADA, MANHÃ, TARDE E NOITE

Gosto das madrugadas e já fazia algum tempo que eu não saía tão cedo de casa. Muitas vezes fico até tarde na rua, mas sair de casa de madrugada para trabalhar é outra história. O silêncio humano, a ausência de carros e marteladas de obras; de barulho os pássaros da noite e o murmúrio do vento fresco. Olho as estrelas esperançoso e não dou bola aos fantasmas que habitam a imaginação humana. Aqui ainda não há perigo de bandidos; pelo menos por enquanto. Acordei às três da manhã; devo dormir às quatro, não tenho certeza. Vinte e quatro horas de pensamentos e olhares: madrugada, manhã, tarde, noite, madrugada... Estar vivo é um privilégio. Enquanto digito, ouço a moça da manutenção dizer: "só Deus na causa". Interessante esses ditos populares. Ouço. Vejo. Madrugada, manhã, tarde e noite.

Nenhum comentário: