16 de fev de 2011

A IMBECILIDADE NÃO TEM LIMITES

A imbecilidade não tem limites. Se alguma alma caridosa estiver lendo este post, troque logo de página, acordei amargo. Eu já havia lido sobre a poluição dos oceanos e hoje, enquanto fazia minhas necessidades fisiológicas e filosóficas, isto é, fazia cocô, li sobre a pesca em alto mar. Os "grandes predadores" estão em extinção e logo-logo não teremos mais atum, bacalhau, entre outros. O atum em lata, vendido no supermercado, não é atum de verdade. Ora, Dona Revista Época, o único a merecer esse nome tão sinistro é o homem; predador mesmo é o ser humano. Várias subespécies já desapareceram alerta a reportagem... Vou declarar com toda a bílis desta manhã: sou um pessimista. O mundo do futuro será no estilo Blade Runner, o caçador de andróides. Enquanto a natureza "inumana" some aos nossos olhos, estamos preocupados com a humanidade dos ipods, ipads, icaceteaquatro...

Um comentário:

Elaine Mendes disse...

Só posso dizer que concordo.