18 de nov de 2010

PINTOR

O tempo anda maluco. Em meio à loucura, o céu se transformou num artista, um pintor. Tonalidades de cinza e alaranjados que tomam formas espetaculares. A propósito de loucuras, na televisão o exorcismo de um cachorro. É tão patético que não tem a menor graça. Ontem experimentei uma daquelas estranhas sensações de paranormalidade. Tenho a consciência de que tenho uma essência e ela muda pouco. São raízes que me tornam o que sou. Mas as folhas mudam o tempo todo - prossigo a analogia da árvore. Infelizmente, todo o talento do céu-pintor é somente o produto da poluição e das alterações climáticas. A beleza sempre tem um fundo trágico. Mudar de assunto é quase um instinto para mim...

2 comentários:

Primendonça disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Primendonça disse...

Ao menos reconhece as suas raízes... Quanto às folhas, nem as mais resistentes sobrevivem ao tempo, às circustâncias, aos dias ensolarados, mto menos aos dias frios e chuvosos... Mas nem por isso desistem... Ressurgem, novas, e belas, mesmo que relativamente...