19 de mai de 2010

VISÕES - BRASÍLIA - 1

Imagine uma ferida na perna. O tecido inflamado, recoberto de secreções e pus - um verdadeiro estrago à normalidade do tecido conjuntivo e potencialidade de contaminação por microorganismos. Do alto do avião, a pequena "escotilha" descortina imensas feridas: é a ocupação do homem no planeta. Áreas desmatadas, imensos buracos, cercas, obras, prédios, canais, enfim. Neste sentido o homem é menos que uma bactéria, pois age como um mísero vírus que destrói seu hospedeiro e, consequentemente, a si mesmo. O avião parece tão frágil diante do horizonte... Mais espremido que os bancos da Web Jet, meus pensamentos são como bandos de nuvens, entre brancas e cinzentas.

Nenhum comentário: