30 de mar de 2010

HOUSE

Primeiro Buda, o grande mestre. Hui-Neng, o patriarca do zen. Espere! Laozi e Confúcio. Hum... Nada de cronologia. Nagarjuna, Jesus e Maomé! Osho e Krishnamurti. Sempre gostei dos grandes avatares. Agora... O dr. House! "Todos mentem", diz o amargo personagem. Inclusive ele próprio, sempre por uma boa causa, diga-se. Um personagem enigmático! Ele me dá tristeza e raiva! Um cinismo moralista e burro! Fosse Henry Miller teria passado o "serol" na Cameron - a "doutorazinha" do bem. Claro, todos os personagens são marcados de alguma forma. Mas o diretor é inteligente o suficiente para não fazer com que não haja excessos. Ou pelo menos que o único a exorbitar seja o House. Brilhante e solitário! Um paladino contra as doenças. Quanta doença! É um verdadeiro milagre estar vivo! Que série! Consegue fazer render um assunto aparentemente tão sem caldo! As coisas mudam. Troco aos poucos as reticências por exclamações! Por que? Só o dr House sabe!

Um comentário:

MM disse...

Leio seu blog, JG. É notório! E sinceramente não imagino seus textos do blog sem reticências… É sua marca! Se reinventa JG, mas não tira as reticências… Não sei se na vida real você é assim. Cheio de reticências e coisa e tal. Não o conheço mesmo! Contudo no blog é sem dúvida, repleto de reticências… Findar um texto com exclamação? Isso sim é novidade! ¿Que pasa, Juanito? Hum… Vou perguntar ao Dr. House!