11 de mar de 2010

FLORES

Flor preferida? Pensei de imediato em rosas, mas gosto tanto das margaridas, brejeiras como moças do interior; e o que dizer da delicadeza das begônicas e violetas ou o porte das camélias? O hibisco e a alamanda são especiais na sua simplicidade, mas até de flor de maracujá eu gosto, sem esquecer da exuberância da manguba. Há orquídeas de tirar o fôlego e mesmo a humildade do miosótis é admirável. O jasmim, meu Deus! Uma acácia imperial então... "Olhai os lírios do campo", mas não se esqueçam das madressilvas e narcisos. A flor do ipê é brasileira legítima e eu não poderia esquecer dos antúrios e das bromélias. O crisântemo me lembra a infância e o cravo há de me acompanhar na morte. Perdoem se não falei de todas, mas do que eu não gosto mesmo são flores de plástico, ou ainda da rosa de hiroxima, e de todas aquelas que nascem nos jardins do inferno.

Um comentário:

MM disse...

Esqueceu dos girássois e dos copos-de-leite, que apesar de brancos, são também coloridos. Sem falar da vitória-régia, mal dá o ar da sua graça e sem se despedir vai embora, saindo, assim, à francesa. São tantas e tão belas que não cabem em poucas linhas, entendo. Não raramente, é difícil enumerar os desafetos e até mesmo os “amores” vividos, porém todas as flores... Com seu deslumbre, sua beleza, é quase impossível.