23 de dez de 2009

O DÓLAR

A dívida norte-americana se encaminha a 90% do PIB. O que significa isso? Imagine que você ganhe 100 e 90 sejam de dívidas. De fato, uma situação insustentável a qualquer um. Numa situação dessas, sua alternativa seria a renegociação aqui, o calote ali, um empréstimo acolá. Mas a economia internacional é mais complicada. Os Estados-Unidos possuem uma mercadoria única: o dinheiro. Isto é, sua moeda é usada como padrão - ainda - nas transações internacionais. A debilidade da economia americana faz com que o dólar despenque, o que é bom para os exportadores de lá, mas ruim para os países exportadores de cá. Por enquanto não há como substituir o dólar. Alguém pode perguntar: por que eles simplesmente não emitem papel para pagar todas suas contas? É a velha lei da oferta e da procura. Quanto maior a quantidade, menor o preço. O valor do dólar iria a patamares impensáveis e a inflação no mundo seria incontrolável. A própria economia americana entraria em ruína. Então, eles emitem com parcimônia, no limite. O armamento mais poderoso dos EUA e baluarte da sua hegemonia é, certamente, a sua moeda.

Nenhum comentário: