9 de out de 2009

SEVAN

Uma relação de ódio. Gosto de gatos, mas a Sevan - diminutivo de sevandija, que significa praga - foi um carma. Ela também nunca deixou dúvidas quanto ao seu desprezo pela minha pessoa. Eu me aproximo e ela corre, já arranhou o meu carro e me fez ameaças típicas de gato - fffffffffffffff. Por essas fatalidades da vida, ela acabou ficando por aqui e não com minha filha, sua legítima dona. Sevan adoeceu e lá vou eu a lhe oferecer fatias de chester, leite e acomodações. Molhada de chuva, rabo quebrado, nem de longe aquela desgraça que me infernizou a vida. Ela me retribui com um miado agradecido. A vida é assim, o mundo dá voltas; para a gata ele parece estar parando de vez. Eu me alinho às forças de construção e me solidarizo com sua dor, que também é minha, de todos nós. Disse o veterinário que ela já viveu muito, acho que entre 10 e 15 anos, não sei ao certo. Exímia caçadora, sorrateira, simplesmente felina, espero que consiga sobreviver...

Um comentário:

Tute Braga disse...

E eu espero que você também consiga sobreviver.
Mas se ela, mesmo doente, ainda está fortemente ligada à você, é porque ela está bem...
Os gatos somem quando estão nos seus últimos dias, eles nunca morrem perto de casa...
=)

Boa sorte!