9 de ago de 2009

DIA DOS PAIS

Dia dos pais. Não tive um bom pai, assim como minha mãe também não. Não guardo mágoas, rancor ou perco tempo com queixumes, o tempo é uma dose diária de paracetamol e cada um sabe de si. Mas também não sei avaliar minhas qualidades de pai. Vejo meu filhos como amigos e gosto deles sem o compromisso do sangue. Eles que avaliem minhas qualidades e defeitos - e não pus aspas, não é necessário. Há o apelo comércial nessa coisa de "dia" - dia disso, dia daquilo. Recebi cumprimentos pelo meu dia, hoje. Quando eu era um rapazinho imaginava como seria a paternidade. E me recordo quando minha filha nasceu; depois foi o outro - eu me lembro dos detalhes. Dos filhos que poderiam ter sido, dos irmãos que poderia ter, das milhares de possibilidades que a vida tem. Uma espécie que sobrevive apenas em sociedade desenvolve laços entre seus membros, mas pai e mãe são por excelência os elementos que viabilizam a existência de uma criatura tão frágil, o ser humano. Com o passar do tempo, tal como entre os pássaros, os filhos batem suas asas e se lançam ao mundo. Triste do pai ou da mãe que esquecem que seus rebentos não lhes pertence. O conto da cegonha não é uma demonstração de amor, é uma prova de egoísmo e de mistificação da função materna. Em qualquer situação, seja entre pais e filhos ou envolvendo grandes amores, o amor só cresce quando é compartilhado na reciprocidade.

2 comentários:

btv disse...

feliz dia dos pais!!!!!

Aline disse...

Independente do dia você sempre será lembrado...dia dos pais, do amigo, do professor...pra você todos os dias...você sabe compartilhar...este é o diferencial...