17 de jul de 2009

O MUNDO MARAVILHOSO DOS ECONOMISTAS

Os EUA estão próximos a sair da crise - assim nos informam os habitantes de um mundo chamado "Economia". A forma como dizem ou escrevem lembra um diagnóstico médico: o paciente está em recuperação. Mas quais seriam as características de saúde no caso americano? Níveis de consumo alto e PIB em crescimento. Na medicina, curar a doença significa voltar a um estado anterior, antes da patologia, um estado de normalidade, portanto. O sistema econômico mundial não é o mesmo de Bretton Woods - acordo vigente desde a Segunda Guerra. A história dos homens não um é ramo da medicina e a normalidade é apenas uma convenção. As sibilas das ciências econômicas parecem ignorar o contexto que se esboça diante de nossos olhos. Há novos atores no cenário internacional, notadamente a China, com enorme cacife econômico e muito apetite político. O parque industrial migrou para o Oriente, o Brasil se destaca como produtor de gêneros primários, entre outras mudanças signficativas no cenário econômico. Os velhos países do Primeiro Mundo estão como magnatas à beira da falência e vivem do passado - do que acumularam, saquearam, ou conquistarm por méritos e trapaças. Não há como fazer previsões, mas os EUA ainda possuem dois trunfos: o poder militar e uma moeda de padrão internacional. Dizem alguns que fábricas não são mais importantes e quem exporta apenas comida perde na troca. Sei não...

Um comentário:

Aline disse...

Se lembra um diagnóstico médico, o correto então seria classificar como um colapso...abrindo assim, caminho para o aparecimento de organismos que irão comprometer o atual sistema...
A hegemonia americana...deve dar lugar a multipolaridade...wind of change...e se é para continuar com diagnósticos...fico com a frase de Boutang: "A certidão de óbito da economia fordista foi assinada..."