21 de jun de 2009

SEAN

Quem deve ficar com o menino Sean? O noticiário exibe as reviravoltas do caso. O pai biológico e o pai adotivo brigam na justiça após a morte da mãe e caberá ao Supremo Tribunal decidir, respectivamente, a favor de David Goldaman ou de João Paulo. O garoto tem nove anos e poderia decidir com quem deseja ficar. As crianças de hoje possuem grande maturidade e nos surpreendem a todo instante no cotidiano. O bom senso parece que não é suficiente para desatar os nós da burocracia e dos costumes, sem contar que a oportunidade de aparecer também é sedutora. A impessoalidade dos trâmites judiciais, em nome dos interesses da sociedade, é fonte constante de sofrimentos e perdas desnecessários.

2 comentários:

Aline disse...

Sofrimentos, perdas...a humanidade vem se resumindo a isto?
Deixar o menino escolher é a melhor solução...
Poder escolher é sempre a melhor solução...mas vivemos amarrados ao sistema...que não nos liberta! Ou seremos nós os culpados? Afinal, criamos o sistema! Qual a saída? Menos interesses mesquinhos e mais AMOR...

Soraya disse...

Fico pensando na criança que provavelmente será interrogada sobre sua preferência no ambiente hostil do juízo enquanto isso poderia ocorrer de forma muito mais suave no âmbito familiar, como se já não fosse traumática o suficiente a necessidade dessa escolha, a perda da mãe, etc.
É triste como somos capazes de agredir o suposto objeto de nosso amor em lutas que acabam evidenciando amor apenas a si mesmo.