26 de jun de 2009

ADEUS MICHAEL

Eu aguardava a nova turnê de Michael Jackson. E torcia por uma grande apresentação. Durante toda minha vida ouvi falar do Rei do Pop. Cresci nas baladas açucaradas de sua voz de menino. Vi MJ revolucionar a música e a dança. E também chafurdar em dívidas e escândalos. Gênio que renegava a cor e aos poucos se transformou num monstro - borboleta às avessas. O mito engoliu o homem e nem todo dinheiro do mundo aplacou seus preconceitos internos. Fiquei muito triste com sua morte. Venho perdendo muita coisa essa semana - e essa certeza da finitude acompanhada por sua esmagadora presença é alucinante. Agora virão os documentários. O especial da Rede Globo que já devia estar na gaveta, aguardando sua morte. Os analistas, o legado e, na surdina, a batalha judicial de seus herdeiros, credores, agiotas, enfim. O choro dos fãs e suas caricaturas, que vão repetir a famosa coreografia. Ah! Michael, um pouco da minha história foi feita ao som de seus hits. Não vou chorar. Não vou dançar. Mas vou colocar seu CD. E viajar no tempo...
Estarei lá
Estenderei minha mão pra você
Terei fé em tudo que você fizer
Apenas chame meu nome
E estarei lá, estarei lá...

2 comentários:

Soraya disse...

Ainda não consegui sentir a morte do MJ, ainda estou imersa na partida de outra pessoa... talvez porque sua morte não mudará a participação que tem na minha vida, as músicas continuarão a embalar independente da sua não existência. Mais dolorosa é a partida de pessoas que vão deixando somente as ???, em mim pelo menos, e olha que gosto mais das perguntas, mas não dessas que só causam vazio, que deixam no quase lá, lugar onde detesto ficar. Provavelmente será melhor assim já que parecia mesmo não haver relação possível, mas essas racionalizações não aplacam os sentimentos. Estou triste. Sentirei saudades das possibilidades que partem junto com ele. Fico feliz de ter feito o que pude deixando todas as portas abertas e o convite pra entrar. O movimento que falta não é meu.

Aline disse...

Michael Jackson embalou boa parte da minha vida...fecho os olhos e o passado volta veloz...
Ele se foi, mas sua música estará presente sempre...
Penso o quanto é efêmero o existir...As complexidades que criamos...e tudo que deixamos de viver, dizer, amar, compartilhar...Preciso de um abraço...
You are not alone

Another day has gone
I'm still all alone
How could this be?
You're not here with me
You never said good-bye
Someone tell you, why?
Did you have to go?
And leave my world so cold?