28 de dez de 2008

PORTO DAS CRIATURAS

A síntese entre mulher e gato só pode gerar uma criatura perigosa. Diz a teoria do yin-yang que a mulher é o flexível, o macio, a mãe, a terra, a geração. Sua arma é a fraqueza, que lhe faz forte como o salgueiro, a língua, a água... O gato tem sete vidas, é exclusivista, egoísta, sombrio, esperto, praticamente humano. Mas eu não tenho medo de gatos. Eu os entendo, eles me respeitam na base do cada um trata do seu negócio e ponto. Vou derramar este leite dos viajantes na tigela e esperar que ela morda a lábia. Eu gostaria muito que o mundo fosse tão fascinante como minha imaginação o desenha. Um mundo de criaturas marcantes, cada qual com seus superpoderes. Onde o tormento pela existência é a base do cotidiano. De gente profunda, de gente sensual e que ama a vida. De gente que sabe lamber o mundo como se fosse pêlo. Não vou encher o copo, aguardo uma visita furtiva no meio da noite, arranhando as janelas e os medos. A tigela está preparada...

2 comentários:

Aline disse...

Li todas...hum...balanço? Talvez...Perdi alguma coisa no meio do caminho...Fico com a rosa, se você deixar...Que 2009, não seja só uma taça mas a garrafa inteira...Um brinde...tim tim...

Patrick Gomes disse...

Lao Tse disse algo sobre o valor dos vasos, que não está no que é material, mas no seu vacuo, e sobre as casas que têm sua utilidade atravéz do vazio das portas e janelas.

Feliz 2009 JG!

Além de Lao Tse vc me fez lembrar de Renato Russo tbm: "Se o mundo é mesmo parecido com o que vejo, prefiro acreditar num mundo do meu jeito. e vc está esperando voar, mas como chegar até as nuvens com os pés no chão"