26 de jul de 2010

VINCERE

Vincere é um excelente filme. Ponto. Pouco falado e com ares de reconstituição histórica ou biografia surrada - nada disso, é sim uma grata surpresa. A ascensão do ditator italiano, Benito Mussoline, tendo como sombra o amor de Ida Daiser e o filho nascido da trágica união, são os fios condutores do drama. A interpretação de Antonio Albanese como Mussolini e, principalmente, como o renegado filho é impressionante. O carisma é capaz de provocar fanatismo, mortes e, incrivelmente, até amor. No caso, um amor incondicional, cego e doentio, que teve como fruto a loucura, não a felicidade.

Nenhum comentário: