9 de mai de 2010

A MÃE, O BOLO E O VENTO

A sonora gargalhada ecoava na loja - minha mãe estava feliz. Foi um sábado de doações e agora o silêncio aconchegante de um domingo de chuva. O episódio de House foi espetacular como sempre e o bolo de aipim estava divino. Os livros continuam espalhados e as idéias também. Ontem pensei seriamente na vida, agora os sinos "balouçam" - li em algum lugar e uso o verbo pela primeira vez em minha fracassada carreira literária. Antes de dormir, o vento me traz uma historinha:
"Era uma vez... (voz de velhinha bondosa)...
Era uma vez um país chamado Sucupira, governado por uma rainha linda que só andava na rua com a cabeça enfiada num saco de supermercado. (barulho de saco e cheiro de perfume de rainha)
Um dia ela resolveu desafiar a malvada Fulana, feia e despeitada... (música de Psicose)...
No fim todos mentem e morrem diz triunfante o maligno dr. House para o Gato Sorridente... (cai o pano sem pé nem cabeça)"

Nenhum comentário: