4 de dez de 2009

REVIGORADO E ÚTIL

Críticas e elogios fazem parte da rotina de quem trabalha. Mas confesso ter ficado emocionado com o email que recebi e gostaria de compartilhar com vocês a emoção. A Denise é uma aluna que faz ensino superior não porque precisa de uma futura profissão, mas porque gosta da área que escolheu - é uma pessoa experiente, dedicada e séria. E assim seus comentários têm um sabor especial para mim. Sinto-me revigorado e útil ao meu semelhante. Mais que transmitir informações, o educador tem um compromisso com valores.

"Navegante de eterno saber, vou singrando os mares do conhecimento. Ora por águas revoltas de dúvidas e incertezas, ora em profundas águas reflexivas. E na descoberta ou tentativas de tudo apreender e compreender, percebo afastando-me cada vez mais das sombrias tempestades da ignorância, e, como marujo tenaz, buscando o porto da História e seus tesouros.
Calo-me perplexa ante a magnitude dos pensares e saberes construídos. Os eventos de uma longa duração ou os documentos deixados por vozes que não se calaram. São tesouros incalculáveis. E perplexa me quedo diante de magnífica riqueza de pensares e saberes construídos pela experiência do próprio Homem.
Diante de tanta resplandecência de idéias e teorias, sistemas e regimes, estruturas e relações sinto-me pequena e paradoxalmente sinto-me gigante quando percebo o quanto já mudei, o quanto cresci através das micro-histórias.
Caro Mestre, ouvir-te falar cada semana deste período, foi muito mais do que colher informações e dados. Foi sonhar de olhos abertos para um mundo de idéias novas, de sentidos novos... E como num passe-de-mágica, viajei nas caravelas da modernidade. Meus colegas de turma tornaram-se, de repente, Bonifácios, Vianas, Prados, Freyres... E quantas vezes adormeci com os D. Pedros, os tenentistas, os Vanguardistas e tantos outros eu não saberia dizer. E quantas vezes foram que acordei com a França, com a Inglaterra, com a Espanha e Portugal na cabeça? Incalculável.
Mas uma coisa é certa. Você foi o responsável, sim, foi você quem fomentou em mim a desconstrução de valores e de uma visão de mundo que até pouco tempo acreditava ser a ideal.
Agora vivo em crise. Não tenho mais sossego. Minha mente já não descansa em paz, pois quando penso que cheguei a uma conclusão de alguma coisa, você apresenta novas possibilidades e minhas idéias se desarrumam novamente.
Termino o ano cansada, com a vista mais gasta, com os dedos mais calosos pelas resenhas e fichamentos, com a coluna mais torta pelas horas encurvada sobre a mesa de leitura e com mais cabelos brancos por conta das P1’s e P2’s. Mas, apesar desses inconvenientes, parabéns! Você fez de mim uma viciada em História!

BOM NATAL! BOAS FESTAS!
Denise Quintanilha"

2 comentários:

Simone Assis disse...

Que MARAVILHA de texto, Jão!!
Sinto falta dessas sensações. Abraço forte com muitas saudades, Mestre, Jão, Amigão.

Mari disse...

Acho bem mais que apropriado citar Antoine de Saint-Exupéry: " Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas".

Faço coro com a aluna Denise em "ouvir-te falar cada semana deste período, foi muito mais do que colher informações e dados",
porém ainda não cheguei a esse nível de expressar-me tão bem.