6 de ago de 2009

OS NÚMEROS E O DEVER

Segundo os especialistas a pobreza no Brasil diminuiu. Entende-se por linha de pobreza a quantidade de brasileiros que recebem até R$ 7,00 por dia; ou seja, quem ganha um salário mínimo não é pobre. Por outro lado, o ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, comemorava ontem o fato de o nível de devastamento da amazônia ter diminuído, correspondendo "apenas" à metade da cidade do Rio de Janeiro. Qual o meu interesse por esses números? O fato de as autoridades nos julgarem idiotas, completamente. Por exemplo: vi um anúncio de concurso, mas conferi também a relação candidato vaga, que é astronômica; há pessoas que estudam há anos, então qual é a probabilidade de um mortal comum, como eu, passar? A mesma que ganhar na megasena... Ora, se quem ganha um salário mínimo não é pobre, o "felizardo" que ganha uns quatro é rico, afinal já entra na faixa de desconto de imposto de renda. Na verdade, o "magnata" que ganha quatro, recebe líquido três, em função dos descontos. A diferença vai para os cofres públicos - pagar os concursados da megasena dos funcionários do Estado - que já passam de um milhão no Brasil. Nada contra o funcionalismo público ou aos impostos, apenas um detalhe: a contrapartida aos impostos é indecente. Não temos saúde, educação, enfim, não temos serviços de qualidade. A sensação é de que pagamos à toa. E a você que pode pensar que ando amargo, aviso: ao contrário, estou bem, sereno... Mas não podemos nos calar diante de tanta indignidade. É dever de cidadão.

3 comentários:

Anônimo disse...

ué e nenhum cidadão comentou sobre isso?
bom eu tenho planos para uma revolução contra tudo isso que nos faz mal... que acha de se juntar a mim para liderar a revolução? rs bj

btv disse...

ixi! esqueci de assinar!!! o comentário anônimo é meu rs bj

Patrícia disse...

Relação candidato/vaga...é não vi isso...mas a redação era sobre o mercado de ação e acho que em meus conhecimentos quase nulos, sequer sou capaz de repetir aqui a proposta da dissertação totalmente fora de meu alcance...triste. Bem feito para mim! estava tudo lá no Edital...as capacidades, exigências, eu que nem li. Nem dava para aprender economia em um mês...não devia ter feito? Loteria? Ninguém ainda tinha me dado este conselho...Mas fazer concursos indiscriminadamente, isso sim! Ouço demais!
Em Algum Lugar do Tempo.