7 de jul de 2009

AGUARDO

A voz de Elis Regina bordava os meus ouvidos. Respirei o ar de Engenho Grande e comi uma fatia generosa de pizza. No lixo repousa a embalagem de sedex. Eu escrevo com a linguagem dos sonhos amigos. Algo tão fora de moda na atualidade. Ouvi no rádio que a guarda municipal vai multar pessoas que atirem lixo ao chão do Rio. Eles só querem arrecadar e não educar. Um dia morno eu diria. Aguardo boas notícias, telefonemas, mensagens, depoimentos. Aguardo que o dia acabe. Aguardo uma manifestação divina. Aguardo que o país tome vergonha na cara. Aguardo tanto que guardo e guardo....

Um comentário:

Aline disse...

Estou árida de palavras, escritas e faladas...o silêncio seria um presente...A encomenda expressa é mais que objeto...é linguagem dos sonhos, nunca fora de moda.

Olha está chovendo na roseira...
Que só dá rosa mas não cheira...
A frescura das gotas úmidas...
Que é de João...
Que é de ninguém...

Pétalas de rosa carregadas pelo vento...
Um amor tão puro carregou meu pensamento...
Ah, você é de ninguém...
Ah, você é de ninguém...

(Elis Regina)