17 de fev de 2009

O GAROTO

O futuro está sempre no colo de uma criança com os cotovelos encravados no joelho. Naquele tempo se ouvia Evie no Jornal da Tarde. Era um garoto de cabelo de índio. De canelas secas e cabeça grande, um passarinho que cantava tristeza pelos olhos. Um dia ousei traduzir a primeira estrofe da música. Demorei muito tempo a aceitar, ou melhor, acreditar. A ladeira era íngreme e esburacada, mas os anos a pavimentaram com o esquecimento. Johnny Mathis não transmite esperança, apesar de sua bela interpretação. O resto da música fala de otimismo e possibilidade de mudança, mas o garoto não sabia inglês...

2 comentários:

Aline disse...

Não quero pensar no futuro, me angustia...fiquei doente essa semana (seu bruxo!)...então o futuro é apenas sonho...ele pode não chegar...então estou parando de sonhar...Um dia de cada vez...alguém me disse...Bom descanso, no feriado...fique bem...bjs

Coral disse...

O futuro, caríssimo está na intensão do próximo passo, somente.
Estive na sua região recentemente e lembrei de você, talvez trabalhe por aí, quem sabe...futuros...sou melhor com passados.
Em Algum Lugar do Tempo.